Christmas without family!

Imagem

O Natal, na minha família, sempre foi visto como uma data de reunir a família, era sempre uma festa estar com os tios, primos, avós, tio-avós, mãe e irmã. Desde que me mudei pra João Pessoa passo o natal com minha mãe, irmã e alguns amigos, e desde que comecei a namorar com o Léo, passamos o natal com a família dele. Depois que mudamos pra João Pessoa, nossos laços natalinos se fortaleceram e cogitar a possibilidade de passar o natal longe da família já me deixa triste. Porém, como meu namorado está morando nos Estados Unidos e passaria o natal sozinho, resolvi ir passar as festas lá com ele. Começamos a planejar nosso natal mas não imaginávamos o que estaria por acontecer.

Neste ano fomos passar o natal em Washington, já sabíamos o prato e a sobremesa da noite, tudo à lá Brasil, sem saber que não seríamos só nós dois. Desde que chegamos em Washington conhecemos vários brasileiros, mas nenhum deles iriam passar o natal por lá. Uns dias antes do natal, eis que aparece um grupo com 7 brasileiros, e depois mais um grupo com 3, depois encontramos brasileiros sozinhos, e começaram a brotar brasileiros naquele albergue. E foi então que decidimos, vamos comemorar o natal à lá Brasil juntos!

Nosso natal foi muito diferente do esperado! Os brasileiros que já estavam lá a mais tempo puderam matar a saudade do Brasil em uma mesa farta, com direito à pão de queijo, strogonoff, galinha assada (imitação do peru), um maravilhoso mousse de limão e chocotone. Foi uma noite inesquecível, regada a bons sorrisos e lembranças do nosso país. Você quer ser feliz em qualquer situação? Abra seu coração para novas pessoas, elas podem te surpreender! Nesse ano tivemos sim, diferente do esperado, um feliz natal! ;)

Orgulho da minha terra!

ImagemDurante a minha viagem aos EUA, eu e Léo (meu namorado) estávamos indo à um show de um artista local quando o nosso “guia” daquela noite nos pergunta de onde somos, como sempre que respondemos Brasil, o senhor ficou super feliz e começou a falar de várias coisas que gostava do nosso país, porém dessa vez foi diferente, ele não falou de futebol, não falou de carnaval, mas ele falou de MÚSICA! E não falou de samba, falou de FORRÓ! Disse que ele amava a banda Clã Brasil e o nosso querido Sivuca. Na hora fiquei besta, não falamos que somos nordestinos, não falamos que somos da Paraíba, falamos apenas que somos brasileiros. E assim fomos recebidos em Washington, na capital do Estados Unidos da América, por um senhor que valoriza mais nossas músicas boas do que muitos de nós, brasileiros. Imaginem a emoção, imaginem a felicidade!

Feliz dia da mulher … de luta!

Imagem

O “dia da mulher” nasceu devido a violência com que as mulheres foram tratadas no dia 8 de março de 1857, quando mulheres operárias, trabalhadoras de uma fábrica de tecidos, fizeram uma grande greve para reivindicar melhores condições de trabalhos, ocupando a fábrica e paralizando-a totalmente. A fábrica foi então incendiada com 130 tecelãs dentro, as quais morreram carbonizadas.

Sabendo da origem eu não desejo feliz dia das mulheres à qualquer mulher, eu desejo àquelas que lutam diariamente por seus direitos, por poder sair às ruas com as roupas que bem entendem sem ser alvo de cantadas ou mesmo de culpa pelos seus estupros. Eu desejo feliz dia das mulheres às mulheres de verdade, de fibra, de coragem, de luta, de caráter, não ao sexo frágil, que não somos. Às mulheres que são mães e levam suas famílias nas costas, provando capacidade de ser pai e mãe ao mesmo tempo. Àquelas mulheres que são esposas e que sabem o valor que têm, não se omitindo diante de uma possível violência familiar. E àquelas que não são femininas o suficiente, mesmo aos olhos de outras mulheres, apenas porque não se relacionam com homens.

Mas desejo um feliz dia das mulheres também àquelas mulheres que sofrem com a violência domiciliar caladas por vergonha, já que diante dessa sociedade machista, são consideradas culpadas. Àquelas que se submetem à xingamentos, achando que são mesmo as culpadas por seus estupros e pelas cantadas, pois essas mulheres são vítimas de uma sociedade que me dá nojo!

Mulheres, hoje não é o dia do sexo frágil, que nos fazem acreditar que somos, não é o dia de sermos lembradas como boas mães, boas esposas, boas mulheres. Mas sim o dia de sermos lembradas como mulheres guerreiras, que não se abatem diante de uma luta contra o machismo, que sabem exatamente sua posição na sociedade, que brigam por direitos e não se calam diante à ameaças! Que nesse dia das mulheres possamos repensar nossas atitudes, possamos deixar de ser machistas e preconceituosas, e possamos ver nas outras mulheres a nós mesmas! Feliz dia das mulheres!

E começa a viagem: Washington D.C., aí vamos nós!

E assim começa o nosso mochilão pelos EUA!

Inicialmente iríamos passar o natal em Boston e o ano novo em NYC, maaaas como resolvemos isso com apenas um mês de antecedência, os hostéis em NYC já estavam esgotados. Por isso tivemos que mudar os planos e deixar NYC por último. Os planos passaram a ser, então: natal em Washington D.C., ano novo em Boston, em seguida seguiríamos para Califórnia [San Diego e Los Angeles] e só depois embarcaríamos rumo a NYC. Arrumamos as mochilas, e lá fomos nós!

Como tudo na minha vida acaba se tornando uma aventura, não podia ser diferente nessa viagem, não é mesmo? O ônibus estragou no meio do caminho, pediram pra ficarmos esperando por 30 minutos, que acabou sendo 1 hora e 30 minutos e então o outro ônibus chegou, entramos nele e seguimos viagem, but WAIT … EU ESQUECI MINHA BOLSA COM TODOS OS MEUS DOCUMENTOS, DINHEIRO E CELULAR DENTRO DO OUTRO ÔNIBUS [sorte que só tínhamos andado uns 2 minutos e que o motorista era muito gente fina], meu namorado saiu correndo, o motorista fez a volta e conseguimos resgatá-la. ok, ok, mais uma emoção [mas porque o blog se chama fazendo laurices mesmo? kkkkkkkk].

Chegamos! A cidade era linda, eu me senti em um filme! O hostel que ficamos era bem legal, perto de todos os pontos turísticos, só tivemos que pegar metrô pra ir no zoológico, no mais, fizemos tudo à pé, e as pessoas muito simpáticas, as mais simpáticas que tive contato nos EUA.

Coisas pra fazer em Washington? Vou dizer onde fomos e o que eu achei. Vale a pena dizer que todos os museus do Smithsonian ficam juntos no centro de Washington, são de graça e muuuito legais, vale a pena conhecer todos, se tiverem tempo.

Madame Tussauds Washington D.C.: pagamos caríssimo e era bem sem graça [deixe para ir no Madame Tussauds de NYC ou Los Angeles], deve ser legal pra que é dos EUA, porque têm todos os presidentes, mas nós como turistas só conhecíamos os presidentes mais famosos, e tinham apenas alguns famosos. Se eu soubesse, não iria. Decidimos ir antes de saber que todos Smithsonian’s Museum eram de graça.

Marian Koshland Science Museum: como somos biólogos aproveitamos que era baratinho, mas também era pequenininho, porém era bem interessante e bem didático, vale a pena levar as crianças, elas terão muito o que fazer lá.

Smithsonian American Art Museum: pra quem curte arte até vale a pena, mas apesar do meu sogro ser artista plástico, não somos muito fãs de museus de arte. Uma parte muito legal do museu é este da foto, é um local bem amplo com lanchonete. Lá encontramos gente passeando, conversando, estudando e em reunião de trabalho, tinham também muitas crianças brincando.

Espaço legal e bonito no Smithsonian American Art Museum :)

Espaço legal e bonito no Smithsonian American Art Museum :)

Smithsonian Institution National Museum of Natural History: O melhor museu de história natural que visitamos nos EUA! É MUUUITO legal, tudo interativo, tudo explicadinho, vale muito a pena ir, sendo biólogo ou não. Lá a gente pôde ver esqueletos de dinossauros, peixes em aquários, esqueletos de baleias, arcada dentária de tubarão e mais um montão de coisas legais!

Smithsonian Institution National Museum of Natural History :)

Smithsonian Institution National Museum of Natural History :)

Arcada de Tubarão! (:

Dear bear :)

Dear bear :)

Tartarugonaaa!

Tartarugonaaa!

Borboleta presa em âmbar :)

Borboleta presa em âmbar :)

Esqueleto de uma cobra da família Boidae

Esqueleto de uma cobra da família Boidae

Smithsonian’s National Zoo: Um zoológico muito grande e muito bom! Passamos horas andando por lá, vendo os vários animais diferentes dos que vemos aqui no Brasil. Além disso, tem uma parte do zoo onde a Amazônia é remontada apresentando sua fauna e flora, muito lindo! Apesar de eu não gostar muito de zoológicos, eu acho eles fundamentais para que as pessoas entendam a importância da conservação, e esse cumpre o seu papel.

Iguana :D

Iguana :D

Pirarucu gigante!

Pirarucu gigante!

Na Amazônia, sqn!

Na Amazônia, sqn!

Super simpática!

Super simpática!

Pandaaaa!

Pandaaaa!

Smithsonian’s National Air and Space Museum: Um lugar pra entender como os aviões, foguetes, sondas e satélites funcionam se divertindo. Tem uma parte especial para crianças muito interessante também para os adultos, passamos mais de uma hora só nessa parte. Vale muito a pena conhecer!

Carro espacial

Carro espacial

The Kennedy Center: O hostel em que ficamos tinha guias voluntários que levavam as pessoas hospedadas no hostel pra fazer passeios e tours. Como estava próximo do Natal, o Kennedy Center estava convidando alguns artistas locais pra fazer shows lá, de graça. Fomos com um desses guias do hostel, um senhorzinho médico aposentado muito gente boa. O show foi ótimo!

No show!

No show!

Sala das bandeiras no Kennedy Center

Sala das bandeiras no Kennedy Center

Rosto do presidente Kennedy

Rosto do presidente Kennedy

Tiramos o último dia pra conhecer os monumentos da cidade no National Mall, um dia CON-GE-LAN-TE! Em Washington você respira a história do país, e os monumentos contam esta história calados, alguns são tristes, outros são alegres, mas todos são lindos.

 Old Executive Building

Old Executive Building

U.S. Department of Treasury

U.S. Department of Treasury

The white house

The white house

Lincoln Memorial

Lincoln Memorial

Memorial dos Veteranos da Guerra da Coreia

Memorial dos Veteranos da Guerra da Coreia

Neveeeee!

Continuando minha saga pelas terras do tio Sam Obama, mas agora falando de um assunto MUUUUITO legal [pelo menos pra mim!]

Neveeeee!

Desde criancinha eu sonhava em conhecer neve, mas nunca tinha tido dinheiro oportunidade. Quando desci em Chicago tive que pegar um trem que passa por dentro de todo o aeroporto, e te leva de um portão ao outro, e foi aí que vi a neve pela primeira vez, e foi amor à primeira vista!

A primeira foto que tirei da neve, na vida!

Infelizmente fomos separadas mais uma vez, pois eu tinha que pegar meu vôo e ela teve que ficar, maaaaaaas, chegando em Haverford [onde meu namorado estuda] tinha MUUUUUITA neve e minha felicidade só aumentou, e depois de uma viagem extremamente estressante, estar ao lado do meu namorado na neve foi a melhor coisa do mundo!

 

Parecia uma criança!

Parecia uma criança!

Amoooo!

Amoooo!

Curtindo a neve com meu gordo!

Curtindo a neve com meu gordo!

A primeira vez que eu vi a neve caindo do céu!

A primeira vez que eu vi a neve caindo do céu!

Campo de futebol congelado em Haverford College

Campo de futebol congelado em Haverford College

Meu primeiro [e único até agora] boneco de neve!

Meu primeiro [e único até agora] boneco de neve!

Na neve, até caindo estou feliz ;)

Na neve, até caindo estou feliz ;)

Montanha de neveee! *------*

Montanha de neveee! *——*

Praia com neve, perfeição!

Praia com neve, perfeição!

Brincando com a neve em Harvard!

Brincando com a neve em Harvard!

Depois de nossa super viagem, que contarei mais pra frente, voltamos para Haverfod e adivinha? MAIS NEVEEEE!

Mais neve, mais neve, mais neve!

Mais neve, mais neve, mais neve!

E dessa vez chegamos a 1 palmo e meio de neve, mais ou menos ;)

Prometo que agora vou atualizar o blog, beijos ;*

 

Enfim, cheguei!

E enfim tive tempo para escrever! (OMG, esse post está escrito pela metade desde o dia que cheguei, e só agora, que já estou voltando pra casa eu tive tempo de terminá-lo)

Vou começar contando sobre a minha maravilhosa viagem, not!

Eu saí de João Pessoa e fiz uma conexão em São Paulo, onde esperei por 3 longas horas, e uma hora antes do embarque resolvi entrar para a sala de embarque porque queria carregar meu celular, já que precisaria me comunicar com meu namorado quando chegasse nos EUA, e foi aí que a viagem começou a desandar.

A fila para apresentar o passaporte estava imensa e acabou que eu só consegui entrar na sala de embarque uns 15 minutos antes do horário que estava previsto para o vôo partir. Além disso, a sala estava LOTADA, quis ir no banheiro e demorei 5 minutos pra atravessá-la entre as pessoas, isso porque ela é muito pequena. Ok, meu vôo demorou mais que o esperado e saiu com 1 hora de atraso, mas até que estava bom, tinha vôos muito mais atrasados que o meu. Entrei no avião e lá fui eu rumo aos EUA, a próxima parada seria (e foi) em Chicago, de lá eu pegaria um vôo direto para a Filadélfia.

Passadas 4 horas de vôo começa uma tubulência monstra, o avião começou a perder altitude, e começou a chacoalhar como eu nunca tinha visto antes, pensei: “agora eu morro”. A aeromoça começou a gritar para que apertássemos os cintos e não saíssemos do lugar. A turbulência durou apenas alguns segundos e em seguida o comissário disse que tínhamos passado por uma área de turbulência e blá blá blá, alguns minutos depois ele volta a falar, dessa vez pedindo que se alguém fosse médico ou enfermeiro, que se apresentasse, e aí a cara de todos que estavam a bordo foi de: QQQQ? oO

Desde esse episódio eu não consegui mais dormir, passei o resto da madrugada em claro só esperando que viesse outra turbulência dessa mas, ainda bem, não veio.

Cheguei em  Chicago e saí correndo do avião porque faltava menos de 30 minutos para meu próximo vôo partir. Cheguei na parte da Alfândega e não tinha ninguém para dar informação porque fui uma das primeiras a chegar, entrei na fila errada. :S

Quando eu pedi ajuda a um rapaz, ele me mostrou a fila correta, saí correndo mais uma vez, pedindo licença pra todo mundo, fui direto pra frente da fila onde tinham mais 3 pessoas na mesma situação que eu. A fila em que estávamos demorou MUITO enquanto a fila que estava do nosso lado andava muito rápido. Azar, como sempre, dei azar mais uma vez! Quando chegou na minha vez, a policial era CHATÍSSIMA! Como meu visto era de turista não me preocupei com o inglês, que não é dos melhores, apenas disse que não falava inglês (não estava nem um pouco afim) e esperei que ela falasse começasse a falar em espanhol, doce ilusão. Ela não apenas continuou falando em inglês como começou a gritar comigo, revistou a minha mala de mão e minha bolsa, folheou todos os meus documentos, as notas fiscais do meu computador e do meu celular e ainda perguntou porque eu tinha levado elas. Fiquei extremamente nervosa, não conseguia pensar em mais nada, até que ela pediu que eu mostrasse minha passagem de volta, porra! Vacilei bonito, mas não tinha a passagem impressa, embora todo mundo que entrou com visto de turista tenha me dito que não mostrou passagem de volta, mas ok. Aí outro problema, fiz um seguro viagem com a CI e a moça errou a data, colocou que o meu seguro viagem era de 16/12/2014 a 25/01/2015. Claro que a policial achou que eu ficaria dois anos. Nessas alturas eu já não entendia mais nada de tão nervosa que estava, ela então pediu que eu a acompanhasse e me levou pra salinha (aquela em que as pessoas falam com o policial chefe, prestes a ser deportada. kkkkkkkk). Por incrível que pareça, não fiquei nem um pouco nervosa nesse momento. Quando fui chamada o policial não me pediu nenhum documento, apenas perguntou o que eu iria fazer nos EUA, onde eu ficaria, e pronto, meu passaporte foi carimbado e ele me mandou seguir. Ebaaaa, entrei nos EUA, agora é só felicidade! [Quem dera!]

Como eu demorei muito na alfândega, meu vôo pra Filadélfia já tinha partido e eu tive que pegar um vôo até Cleveland e então pegar outro para meu destino final, ok, tudo bem, se o avião não fosse um teco-teco, e eu não estivesse traumatizada pela turbulência que tinha passado no outro vôo. Mas era o jeito, então tá. Lá fui eu, bem atrasada e sem saber como iria avisar pro meu namorado, o celular não pegava porque minha operadora é do Brasil e as internets dos aeroportos não queriam me ajudar, nenhuma pegava no meu celular. Chegando em Cleveland eu troquei nota por moedas pra tentar ligar, mas tentei várias vezes e a porcaria do orelhão não ligava pro número que eu queria, perdi dinheiro e não consegui ligar. Então embarquei pra Filadélfia incomunicável. Quando cheguei não sabia pra onde ir, até que achei a esteira das malas, mas as malas de esteira acabaram, a esteira parou e minha mala não estava lá. Mais uma vez tava dando tudo errado, eu nem conseguia acreditar, mas dessa vez foi só drama mesmo [hahaha], disse pra uma moça que a minha mala não estava na esteira e ela perguntou se eu vinha do Brasil, respondi positivamente e lá veio ela com minha mala, então agora tudo estava ok, exceto pelo fato de eu não saber onde estava meu namorado, e não conseguir me comunicar com ninguém. Andei pra lá e pra cá, depois de algum tempo nos encontramos sem querer, e aí sim, a felicidade foi imensa, beijos e abraços! Ele tava com uma carinha tão tristinha, disse que já tinha chorado tanto pensando que eu estava perdida pelos EUA [kkkkkkkk], já tinha até me chamado no auto-falante no horário que eu tinha chegado, mas como cheguei 3 horas depois do previsto eu não estava lá pra ouvir.

Quanto drama foi essa minha viagem, não? Mas enfim cheguei, e aí estou eu com cara de cansada e feliz por ter encontrado meu bonito:

Cansada e feliz, enfim cheguei!

Cansada e feliz, enfim cheguei!

Eu espero que minha volta seja mais tranquila, acho que meu coração não aguenta outra emoção forte dessa. É isso galera, em breve faço posts contando como foram as minhas viagens e brincadeiras na neve por esse país frio. Beijos

Novidades!

Guuuys, ó eu aqui de novo!

Tenho ótimas novidades sobre a minha viagem nas terras do Tio Sam! :D

Essa semana comecei (e quase terminei) a programar a viagem, já que ficarei 40 dias, dá pra fazer bastante coisa. E o roteiro ficou assim:

Primeira semana vou passar na Pennsylvania porque meu love ainda estará em aula, então vou aproveitar pra conhecer a Philadelphia, mas terei que passear sozinha. No dia em que as aulas dele terminam nós partimos para Washington, para passar o Natal, sei que existem lugares melhores, mas ficar em Washington durante o Natal ficou MUITO mais barato do que em outras cidades que preferíamos, então resolvemos gastar menos no Natal pra poder gastar um pouco mais no Ano Novo, além disso, vamos aproveitar pra conhecer Washington, que não estava nos nossos planos, mas que eu já tinha (um pinguinho de nada de) vontade. Em seguida iremos à Boston, passar o Ano Novo, queria passar o Ano Novo em New York, mas os Hostels já estavam lotados, tivemos que mudar os planos, mas ok, nós gostamos de Boston :)

Logo depois do Ano Novo partimos pra Califórnia, ficaremos uma semana em Los Angeles e uma semana em San Diego, e ainda temos planos de conhecer algumas outras cidades próximas, San Francisco terá que ficar pra uma próxima porque são 7,5 horas de viagem. Voltamos da Califórnia direto pra New York, onde passaremos 4 dias, e partimos novamente para a Pennsylvania, porque as aulas do meu amor recomeçam, aí é passear mais um pouquinho, matar a saudade mais um pouquinho e esperar a volta pra casa!

Esse é o roteiro quase oficial, já reservamos os hotels e compramos as passagens, de avião e de bus, só falta reservar o hostel em New York, mas faremos isso em breve.

No total, passaremos 31 dias viajando de mochila nas costas, sem voltar pra “casa”, estou animada! :)

Apesar de embarcar só no dia 12/12, os preparativos já começaram:

Ontem fui na casa da minha madrinha pegar as roupas de frio porque eu não tenho, na minha cidade não se usa nem camiseta de manga comprida, quem dirá casaco de neve, como a filha dos meus padrinhos mora na Alemanha, eles a visitam todo ano, então têm roupa de frio.

Mantenho vocês informados :)

Aniversários!

Guuuuys!

Aqui estou eu novamente, demorei pra atualizar primeiro porque não tinha assunto, segundo porque estava atoladíssima de coisa pra fazer, mas cá estou eu again, e por causa da demora, hoje escreverei dois posts! :)

Dia 21 de novembro foi meu aniversário (uhuuul!) e dia 22 do meu amor (yeaaaah!)!

Nosso bolo de aniversário de 2 anos atrás!

Nosso bolo de aniversário de 2 anos atrás!

Desde que começamos a namorar comemoramos nossos aniversários juntos, sempre fazemos festinhas no mesmo dia, na casa dele ou na minha, e esse ano não foi diferente, exceto pelo fato de que ele está à mais de 6 mil km de distância daqui :/

Mas então como vocês comemoraram juntos?

Bom, no dia do meu aniversário eu tive uma apresentação do circo pra fazer, ensaiamos de manhã, de tarde nos preparamos e de noite apresentamos, ou seja, foi impossível comemorar o meu aniversário no dia.

Apresentação no dia do meu aniversário!

Apresentação no dia do meu aniversário!

Por isso, eu convidei uns amigos para virem à minha casa na sexta, dia do aniversário do meu love, e como quase todos os meus amigos que vieram são, primeiramente, amigos dele, ligamos a webcam com o bolo nas mãos e cantamos parabéns pra ele também. Ele não estava esperando por isso, e ligou o skype quando estava no refeitório da universidade, aí foi uma farra só, cantamos parabéns aos gritos, e ele adorou. Depois disso, mandei mensagem para um rapaz brasileiro que foi estudar na mesma universidade do meu namorado, pedi pra ele levar um cupcake lá no quarto dele naquele momento, que nós estávamos no skype com ele, e cantaríamos parabéns novamente. E foi mais uma farra! No fim, nós ficamos até as 3 horas da manhã conversando pelo skype, como ele estava se sentindo muito sozinho no dia do aniversário e queria companhia, foi uma festa e tanto, ele amou e nós adoramos lhe fazer companhia :)

Surpresaaaa!

Surpresaaaa!

Protegido: Ser ou não ser, eis a questão!

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

USA, here I go!

Meu passaporte (com o visto) chegou ontem, e ontem mesmo eu já comprei a passagem!

Enfim eu posso dizer: USA, HERE I GO!

Porque eu vou aos Estados Unidos? Quais os meus planos?

Bem, há 2 meses meu namorado foi fazer intercâmbio na Pensilvânia (ficará por lá por 1 ano) e há 1 mês eu me formei em Ciências Biológicas. Minha turma da universidade não quis fazer aquelas festas tradicionais, fizemos apenas uma festinha bem simples. Como minha mãe não iria pagar festa de formatura, ela me ofereceu uma viagem, pra onde eu quisesse. Como meu namorado está nos Estaduzunidus e eu nunca saí do país, porque não ir visitá-lo? Eu ainda gastaria menos pois teria onde ficar. Pronto, resolvido, vou visitar os EUA e de quebra mato um pouquinho da saudade!

I love you so much, and I miss you.

Minha viagem será no dia 12/12, chego lá no dia 13. Chegando na Filadélfia eu direto vou pra Haverford, onde meu namorado está. Espero as aulas dele acabarem e vamos pra Boston, iremos passar o Natal lá! Depois voltamos direto para NY, para participarmos do MELHOR ANO NOVO DO MUNDO, yeeees! E depois do Ano Novo, partimos rumo à Califórnia, onde passaremos duas semanas, fugindo do frio da Filadélfia e região.

Por enquanto é isso, se eu adicionar mais algum lugar ao meu roteiro, eu conto pra você. Beijos ;*